Dicas da Nova Ortografia

Oficina de ortografia

Facilitador: Denis Pereira de Andrade

 

O traje

      (Lya Luft, 1978)

      Nunca nos lembramos desse nosso traje cotidiano que é a linguagem. Muitos a usam como trapos mas, se tomassem consciência disso, ligeiro tratariam de melhorar, caprichar, conseguir uma vestimenta mais adequada.

      Por que será que somos displicentes com esse instrumento tão nosso, o que mais empregamos, aquele que até crianças e analfabetos manejam a vida inteira?

      Talvez nos tenhamos acostumados demais com ele. É demasiadamente nosso, como um braço, um olho, e nunca chegamos a nos dar realmente conta de que esse braço é meio curto, o olho meio vesgo, ou míope…

      Não falo na linguagem oral, nessa comunicação espontânea que obedece a leis próprias, que vão do menor esforço à coerção social. Falo na linguagem escrita, essa que os analfabetos não manejam, mas que muito doutor esgrime como se não soubesse além da cartilha…

      Nem precisamos procurar os mais ignorantes. Abre-se jornal, abre-se revista (de cultura também, sim senhores!) e os monstrinhos nos saltam aos olhos.

      Pontuação? Ninguém sabe. Vírgulas parecem derramadas pela página por algum duende maluco, que quisesse brincar de fazer frases ambíguas, pensamentos tortos, expressões esmolambadas.

      Verbos? “Deitei-vos”, “intervido”, “mantesse” são mimos constantes. Não há sujeito que concorde com verbo numa página de fio a pavio. Lá pelas tantas, um ouvido deseducado, um escriba relaxado solta as maiores heresias.

      E a ortografia? Acreditem ou não, ainda agora ouço universitários e professores afirmando que “acento, para mim, não existe mais!”

      Pobres alunos de tão desanimados ou iludidos mestres: lá vêm as crianças para casa trocando acentos como os bêbados trocam pernas.

      Todas essas pessoas: estudantes, professores, jornalistas, intelectuais, morreriam de vergonha se fossem apanhados em público de cuecas ou trapos. Mas, olhe lá, a linguagem escrita de muita gente boa por aí não vai além duma tanguinha de Adão, e, muito mal colocada… deixa à mostra um bom pedaço de vergonha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TABELA INTERNACIONAL DE SÍMBOLOS FONÉTICOS

 

Alfabeto

Símbolo fonético

Exemplos

A  a

/a/

casa,  face, cara, sapato.

B  b

/b/

botija,  barriga,  beleza.

C  c

 

Ch  ch

/k/

/s/

/∫/

café,  casa, conferência.

cebola, centro, caça.

chá,  chave, cheiro.

D  d

/d/

drama, delito, dever.

E  e

/e/

/e/

elefante, eleitor, cesto.

café,  cético,  idéia.

F  f

/f/

folga, feitiço, fronteira.

G  g

/g/

/ З /

guerra,  garra, grito.

agir, viagem, agiota.

H  h

-

homem, hélice, hímen.

I  i

/i/

identidade,  imenso, falido.

J  j

/ З /

joelho, anjo, janela.

L  l

/l/

lábio, líbero, loção.

M  m

/m/

mamão, mármore, morte.

N  n

/n/

navio, novela, nuvem.

O o

/o/

//

bonde, coice,  loira.

cipó,  bode,  copa.

P  p

/p/

prêmio, pálido, porção.

Q  q

/k/

quilo, queixo, queijo.

R r

/r/

baralho, fera, quero.

S  s

/s/

/z/

sapato, sino, assessor.

casamento, coisa, asilo.

T  t

/t/

toalha, tipo, tapera.

U  u

/u/

Ubirajara, urubu, caju.

V  v

/v/

vela, varíola, véu.

X  x

/∫/

/ks/

caixa,  feixe, xarope.

fixo, reflexo,  xico.

Z  z

/z/

/ts/

zebra,  zabumba, zangão.

pizza.

 

ALGUMAS EXPRESSÕES QUE CONFUNDEM

 

AFIM/A FIM DE

 

Afim dá idéia de afinidade, de relação. É um adjetivo, portanto, pode ser flexionado para o plural. Química e Física são disciplinas afins; cunhados são parentes afins.

 

A fim de dá idéia de objetivo, vontade. É uma locução prepositiva, não podendo flexionar-se. Não estou a fim de sair; não estou a fim de trabalhar hoje.

 

AJA/HAJA/HAJA VISTA

 

Aja é do verbo agir. Aja com honestidade e você será bem sucedido.

 

Haja é do verbo haver. Espero que haja muitas pessoas em minha formatura. Note que, no sentido de existir, ele é impessoal, isto é, continua no singular mesmo em expressões plurais.

 

Haja vista equivale a veja e é invariável no português atual. O professor foi justo nas notas haja vista os critérios que usou na avaliação. Houve tempo em que essa expressão era variável, hoje não.

 

MAL/MAU

Mal é advérbio e pode ser substituído por bem. Sua presença me faz mal; não vou comer porque vai fazer mal; você foi muito mal  na prova.

 

Mau é adjetivo e pode ser substituído por bom.  Marcos é um menino muito mau; você foi muito mau para mim.

 

MAS/MÁS/MAIS

Mas é uma conjunção coordenativa adversativa e liga duas orações contrárias. Pode ser substituída por porém. Vou com você, mas não ficarei lá;  Sua redação está boa, mas tem muitos erros ortográficos.

 

Más é plural de e pode ser substituída por boas. As sogras não são tão más; algumas noras é que não são boas para com elas; aquelas alunas são muito más.

 

Mais é advérbio (ou pronome adjetivo) e pode ser substituída por menos. Sara é mais nova do que Levi; Alfredo é o mais calmo da família.

 

Note: Você deve dizer: mais amor e menos confiança. A expressão menas não existe, pois se trata de advérbio, que é invariável.

 

ONDE/AONDE

Onde  é estático, ou seja, indica permanência em um lugar. Pode ser substituída por em que, no qual. onde você colocou meu livro?  não sei onde ela se escondeu.

 

Aonde é dinâmico, ou seja, indica movimento daqui para lá. Pode ser substituído por para onde.  Aonde você pensa que vai? não vi aonde ela foi.

 

OUVE/HOUVE

Ouve é do verbo ouvir. Pode ser substituído por escuta. Falo, falo e ninguém me ouve. Por que você não  ouve os conselhos de sua mãe? “fala, Senhor que Teu servo ouve!” (Samuel).

 

Houve é do verbo haver. Quando tem o sentido de existiu/existiram  é impessoal, isto é, não flexiona. Houve muita gente que não ouviu a notícia; no dia das mães,  houve muitas pessoas chorando de saudade.

 

SENÃO/SE NÃO

Senão é uma conjunção e pode significar:

a) – de outra forma, de outro modo, ao contrário. Fale, senão apanha; pára, senão atiro.

b) – mas sim. Minha crítica não foi para atrapalhar, senão  para ajudar.

c) – a não ser, mais do que. Ele não fará a prova, senão forçado;   nada há neste lugar, senão lixo.

 

Se não  são duas palavras separadas, de classes diferentes. O se é uma conjunção e pode ser substituída por outra conjunção;  o não é um advérbio de negação  Se não me esperar, vou ficar triste. Posso substituir o se por outra conjunção: Caso você não me espere, vou ficar triste.

 

SESSÃO/SEÇÃO/CESSÃO/EXCEÇÃO

Embora as palavras tenham pronúncia parecida, o significado é muito diferente:

a) – Sessão significa reunião, encontro de duas ou mais pessoas. Você não compareceu à sessão de fisioterapia; Não gosto de assistir à sessão  da tarde.

 

b) – Seção significa repartição, uma parte de um todo. Não esqueça a seção de cobrança aberta;  Na seção de tintas, há lugar.

 

c) – Cessão – É um substantivo derivado do verbo ceder. Quem faz uma cessão (ou concessão) cede algo para alguém. O banco fez a cessão de diversas mesas  para a creche;

 

d) – Exceção – Esta palavra é escrita equivocadamente de diversas maneiras. Entretanto, somente esta é a maneira correta de escrever e significa exclusão da regra geral, privilégio. Todos, sem exceção,  foram bem na prova; Deus não faz exceção de pessoas. Note: NA PALAVRA EXCEÇÃO  NÃO  TEM  “S”.

 

TRAZATRÁS

Traz é do verbo trazer. Quando vieres, traz os livros que deixei aí. (Paulo).

 

 

Atrás significa localização posterior, às costas. Não fique correndo atrás  de mim;  eu vou à frente, você vem  atrás.

 

CUIDADO com a grafia das seguintes expressões:

a partir de (não existe apartir): As aulas serão dadas a partir de agosto.

de repente (não existe derrepente): O céu escureceu de repente.

em fim (final) : O tráfego fica confuso em fim de tarde.

enfim (finalmente) : Toda turma foi aprovada enfim. Em fim, sós!

 

POR QUE, POR QUÊ, PORQUE, PORQUÊ

Há quatro maneiras de escrever esta expressão, de acordo com o sentido que se quer dar a ela. Vejamos:

1. Você deverá escrever por que, quando significar pelo qual, por que motivo. É utilizado no início das frases interrogativas diretas ou dentro da frase interrogativa indireta. Por que  você não compareceu ao encontro? não sei por que ela me deixou sozinho.

 

2.- Você escreverá por quê, quando significar por que motivo, mas somente no fim da frase. Você não compareceu ao encontro, por quê? ela me deixou sozinho, não sei por quê.

 

3.- Porque, você vai escrever quando significar porquanto, pois, quando estiver explicando ou dando uma causa. Não compareci ao encontro porque meu carro quebrou; ela o deixou sozinho porque não o quer mais.

 

4.- Porquê, você só vai escrever quando estiver precedido do artigo o,  isto é, quando for substantivo. Nunca saberei o porquê de você não haver comparecido ao encontro; Ela não me quer mais; eis o porquê de haver me deixado sozinho.

Muitas vezes, a forma de se escrever o porquê determina o sentido que se quer imprimir ao enunciado. Veja:

Será que ela não aceitou nossa proposta porque não incluímos nela as despesas de hospedagem?

Atividades

 

1 – Complete as frases com o porquê adequado:

 

01.    Não sei o motivo por que ela fez isso.

02.    Terezinha fez isso não sei por quê.

03.    Não sei o porquê de Terezinha ter feito isso.

04.    Por que Tereza fez isso?

05.    Ela fez isso por que a provocaram.

06.    Tomás conhece o porquê disso tudo.

07.    Você me xingou por quê ?

08.    Felipe não disse por que praticou tal ato.

09.    Você conhece bem as razões por que isso aconteceu.

10.    Éster perguntou por que chove tanto nesta cidade.

11.    Você sabe dizer por que caminho eles seguiram?

12.    Todos sabem por que Brasília foi construída.

13.    Esta é a ponte por que passávamos diariamente.

14.    Só por que não a cumprimentei, ela se zangou.

15.    Por que não chove no nordeste?

16.    No Nordeste não chove porque o governo não quer.

17.    Você disse a seu pai por que não foi à aula hoje?

18.    Você não foi à aula porque não quis.

19.    Eu não sei por que Brasília foi construída, por quê?

20.    Só agora compreendi por que você não foi à aula?

21.    Não sei por que ele falou.

22.    Por que você não me ligou ontem?

23.    Ela desistiu da viagem por quê ?

24.    Porque estou triste não quero cantar.

25.    Caiu porque escorregou.

26.    O caminho por que transitamos era cheio de obstáculos.

27.    Desconheço por que ele reagiu assim.

28.    Mamãe por que você comprou brócolis para o almoço?

29.    Indagou por que chegamos atrasados.

30.    Você não me telefonou por quê ?

 

02. As palavras mas, mais, mal e mau completam as lacunas do texto abaixo. Portando, aponte a alternativa que as emprega na seqüência certa.

“Rafael e Leonardo, ______ entraram em casa, perceberam que as coisas não estavam bem,

pois sua irmã caçula escolhera um ______ momento para comunicar aos pais que iria viajar

nas férias; ______ seus dois irmãos deixaram os pais ______ sossegados quando disseram que a

jovem iria com as primas e a tia”.

a) Mau; mal; mas; mais.     b) Mal; mau; mais; mais.       c) Mau; mal; mais; mais.

d) Mal; mau; mas; mas.      e) Mal; mau; mas; mais.

Opção correta: e

 

03) Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas.

Os programas serão divulgados …….. os candidatos não terão tempo de preparar-se adequadamente ……. disputem uma vaga no tribunal. Você sabe ……. serão realizadas as próximas provas? O …….. de muitos concursos é a exigüidade do tempo o candidato se sente …… com o que julga indiferença.

a)      se não, porque, onde, mau, mau              b) se não, porque, aonde, mau, mal

c) senão, por que, aonde, mal, mal               d) senão, porque, aonde, mal, mal

e) senão, porque, onde, mau, mal

Opção correta: e

 

04. Complete com MAL ou MAU:

a) Disseram que Caloca passou mal ontem.

b) Ele ficou de mau humor após ter agido daquela forma.

c) O time se considera mal preparado para tal jogo.

d) Caloca sofria de um mal curável.

e) O mal é se ter afeiçoado às coisas materiais.

f) Ele não é um mau sujeito.

g) Mas o mal não durou muito tempo.

 

05. Complete usando MEIO ou MEIA:

a) Maria chegou meio atrasada.                  b) Petrolina é meio louca.

c) Mamãe engordou meio quilo.                   d) Levei meia torta para vovó.

e) Minha irmã está meio assustada com as atitudes de Caloca.

 

06. Preencha as lacunas com

MAS = PORÉM               MAIS = INDICA QUANTIDADE           MÁS = FEMININO DE MAU

 

a) A mãe e o filho discutiram, mas não chegaram a um acordo.

b) Você quer mais razões para acreditar em seu pai?

c) Pessoas más deveriam fazer reflexões para acreditar mais na bondade do que no ódio.

d) Eu limpo, mas depois vou brincar.

e) O frio não prejudica mais o Tico.

f) Infelizmente Tico morreu, mas comprarei outro cãozinho.

g) Todas as atitudes más devem ser perdoadas, mas jamais ser repetidas, pois, quanto mais se vive, mais se aprende.

 

07. Preencha as lacunas com:

TRÁS ou ATRÁS = indicam lugar, são advérbios                  TRAZ – do verbo trazer

a) Atrás de casa havia um pinheiro.

b) A poluição traz consigo graves conseqüências.

c) Amarre-o por trás da árvore.

d) Não vou atrás de comentários bobos..

 

08. Preencha as lacunas com:

HÁ – indica tempo passado                       A – tempo futuro e espaço

 

a) A loja fica a poucos quilômetros daqui.

b) Há instantes li sobre o Natal.

c) Eles não vão à loja porque há mais de dois dias a mercadoria acabou.

d) Há três dias que todos se preparam para a festa do Natal.

e) Esse fato aconteceu há muito tempo.

f) Os alunos da escola dramatizarão a história do Natal daqui a oito dias.

g) Ele estava a três passos da casa de André.

h) A dois quarteirões existe uma bela árvore de Natal.

 

09. Haja ou aja

HAJA – do verbo haver – É preciso que não haja descuido.
AJA – do verbo agir – Aja com cuidado, Carlinhos.

Use haja ou aja para completar as orações:

a) Aja com atenção para que não haja muitos erros.

b) Talvez haja greve; é preciso que haja cuidado e atenção.

c) Desejamos que haja fraternidade nessa escola.

d) Aja com docilidade, meu filho!

 

10. Comprimento e cumprimento

Complete corretamente:

a) O comprimento de seu vestido está fora de moda.

b) O cumprimento do amigo foi muito frio e distante.

c) Talvez o comprimento do terreno não seja ideal para a construção de um asilo.

d) Quero um cumprimento cordial e festivo quando o presidente do orfanato chegar.

 

11. Empregue nas lacunas os demonstrativos: este-esta-isto-esse-essa-isso-aquele-aquela-aquilo:

a) Você quer este lápis que está comigo

b) Passe-me essa caneta que está perto de você.

c) Estamos em novembro, este ano está passando rapidamente.

d) Vês esse guarda-chuva, aí? É o meu. O teu é este que aqui está.

e) Wilson e Marlene divertiam-se a valer enquanto esta (Marlene) batia palmas e aquele (Wilson) dançava loucamente.

f) Amigo, esse paletó que veste, é seu? Não; este paletó é do meu amigo Celso. Celso é aquele amigo que o ajudou a vencer na prova.

g) Passe-me depressa essa solução, você já resolveu o problema e eu não.

h) Estas respostas são daqueles problemas que resolvemos em casa, respondeu o colega, mostrando-as.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas palavras homônimas e parônimas mais usadas:

 

 

      absolver: inocentar, perdoar

      absorver: sorver, consumir, esgotar.

      acender: pôr fogo, alumiar

      acidente: acontecimento casual

      incidente: episódio, aventura

      apreçar: perguntar preço, dar preço

      apressar: antecipar, abreviar

      aprender: tomar conhecimento

      apreender: apropriar-se, assimilar mentalmente

      ascender: subir

      acento: tom de voz, sinal gráfico

      assento: lugar de sentar-se

      acerca de: sobre, a respeito de

      cerca de: aproximadamente

      há cerca de: faz aproximadamente

      acostumar: contrair hábito

      costumar: ter por hábito

      afim de: semelhante a, parente de

      a fim de: para, com a finalidade de

      amoral: indiferente à moral

      imoral: contra a moral, libertino, devasso

      apreçar: ajustar o preço

      apressar: tornar rápido

      aprender: instruir-se

      apreender: assimilar

      arrear: pôr arreios

      arriar: abaixar, descer

      assoar: limpar o nariz

      assuar: vaiar, apupar

      bucho: estômago

      buxo: arbusto

      caçar: apanhar animais ou aves

      cassar: anular

      calda: xarope

      cauda: rabo

      cavaleiro: aquele que sabe andar a cavalo

      cavalheiro: homem educado

      cédula: documento, chapa eleitoral

      sédula: ativa, cuidadosa (feminino de sédulo)

      cela: pequeno quarto de dormir

      sela: arreio

      censo: recenseamento

      senso: raciocínio, juízo claro

      cerração: nevoeiro denso

      serração: ato de serrar, cortar

      cesto: balaio

      sexto: numeral ordinal (seis)

      chá: bebida

      xá: título do ex-imperador do Irã

      conserto: reparo

      concerto: sessão musical, acordo

      coser: costurar

      cozer: cozinhar

      cheque: ordem de pagamento

      xeque: lance de jogo no xadrez

      delatar: denunciar

      dilatar: alargar, ampliar

      desapercebido: desprevinido

      despercebido: sem ser notado

      descrição: ato de descrever, expor

      discrição: reservada, qualidade de discreto

      descriminar: inocentar

      discriminar: distinguir

      despensa: onde se guardam alimentos

      dispensa: ato de dispensar

      desapercebido: desprevenido

      despercebido: que não percebeu

      destratado: maltratado com palavras

      distratado: desfazer o acordo, o trato

      discente: referente a alunos

      destinto: que se destingiu

      distinto:diverso, diferente

      docente: referente a professores

      eminente: ilustre, excelente

      iminente: que ameaça acontecer

      emergir: vir à tona

      imergir: mergulhar

      emigrar: sair da pátria

      imigrar: entrar num país estranho para nele morar

      enfestar: exagerar, roubar no jogo, entendiar

      infestar: causar danos

      esperto: ativo, inteligente, vivo

      experto: perito, entendido

      espiar: observar, espionar

      expiar: sofrer castigo

      estático: firme, imóvel

      extático: admirado, pasmado

      estrato: tipo de nuvem

      extrato: resumo, essência

      flagrante: evidente

      fragrante: perfumado

      fluir: correr

      fruir: gozar, desfrutar

      fusível: aquele que funde

      fuzil: arma

      história: narrativa de fatos reais ou fictícios

      estória (origem inglesa): narrativas de fatos fictícios

      incerto: impreciso

      inserto: introduzido, inserido

      incipiente: principiante

      insipiente: ignorante

      inflação: desvalorização do dinheiro

      infração: violação, transgressão

      infligir: aplicar pena

      infringir: violar, desrespeitar

      intercessão: ato de interceder, de intervir

      interseção/intersecção: ato de cortar

      laço: nó

      lasso: frouxo, gasto, bambo, cansado, fatigado

      lista: relação, rol

      listra: risca, traço

      mal: antônimo de bem

      mau: antônimo de bom

      mandado: ordem judicial

      mandato: procuração

      ótico: relativo ao ouvido

      óptico: relativo à visão

      paço: palácio

      passo: passada

      peão: aquele que anda a pé

      pião: brinquedo

      procedente: proveniente, oriundo

      precedente: antecedente

      prescrito: estabelecido

      proscrito: desterrado, emigrado

      recrear: divertir, alegrar

      recriar: criar novamente

      ruço: grisalho, debotado

      russo: da Rússia

      sexta: numeral

      cesta: utensílio de transporte

      sesta: descanso depois do almoço

      sortir: abastecer

      surtir: produzir efeito

      tacha: pequeno prego

      taxa: tributo

      tachar: censurar, pôr defeito

      taxar: estipular

      tráfego: movimento, trânsito

      tráfico: comércio lícito ou não

      vadear: passar ou atravessar a pé ou a cavalo

      vadiar: vagabundar

      vale: acidente geográfico

      vale: recibo

      vale: do verbo valer

      viagem: substantivo: a viagem

      viajem: forma verbal: que eles viajem

      vultoso: volumoso

      vultuoso: atacado de congestão na face

      xácara: narrativa popular em verso

      chácara: pequena propriedade campestre

 

 

Exercícios

  Preencha as lacunas com um dos termos entre parênteses:

 1. Em tempos de crise, é necessário sortir a despensa de alimentos. (sortir – surtir)

 2. Os direitos de cidadania do rapaz foram cassados  pelo governo. (caçados – cassados)

 3.  O mandato dos senadores é de oito anos. (mandado- mandato)

 4. A Marechal Rondon estava coberta pela cerração (cerração – serração)

 5. César não teve senso de justiça. (censo – senso)

 6. Todos os assentos haviam sido ocupados. (acentos – assentos)

 7. Devemos uma vultosa quantia ao banco. (vultosa – vultuosa)

 8. A próxima sessão começará atrasada. (seção – sessão)

 9. Cumprimentaram-se, mas havia hostilidade entre eles. (cumprimentaram – comprimentaram)

10. Na interseção das avenidas, houve uma colisão. (interseção – intercessão)

11. O tráfego no final do dia estava insuportável. (tráfego – tráfico)

12. O marido entrou vagarosamente e passou despercebido (despercebido – desapercebido)

13. Não costume infringir as leis. (infligir – infringir)

14. Após o bombardeio, o navio atingido imergiu (emergiu- imergiu)

15. Vários imigrantes japoneses chegaram a São Paulo nas primeiras décadas do século. (emigrantes – imigrantes)

16. Não há discriminação de raças naquele país. (discriminação – descriminação)

17. Após anos de luta, consegui a dispensa (dispensa – despensa)

18. A chegada do eminente diplomata era iminente ( eminente – iminente).

19. O corpo docente era formado por doutores. (docente- discente)

20. Houve alguns incidentes no Congresso. (acidentes – incidentes)

21. Fomos destratados pelos anfitriões. (destratados – distratados)

22. A cessão dos direitos da emissora foi uma das tarefas do governo. (seção – cessão)

23. Ali, na seção de eletrodomésticos, há uma grande liquidação. (seção – cessão)

24. É um senhor distinto (distinto – destinto)

25. Dei o xeque mate ao gerente, por causa do cheque sem fundos. (cheque – xeque)

26. A nuvem de gafanhotos infestou a plantação. (infestou – enfestou)

27. Quando Joana toca piano é mais um conserto que um concerto. (conserto – concerto)

28. Todos eles fruem o prazer da bela melodia. (fruem – fluem)

29. Estava muito apressado para apreçar quanto custava aquele aparelho. (apreçar – apressar)

30. Nas festas de São João é comum acender balões e vê-los ascender. (ascender – acender)

31. As pessoas foram recolhidas a suas celas (celas – selas)

32. Segui a prescrição médica, mas não obtive resultados. (proscrição – prescrição)

33. Alguns modelos recriados serão vendidos. (recreados – recriados)

34. A bandeira de São Paulo tem listras pretas. (listas – listras)

35. Para passar, precisava apreender mais das lições. (apreender -aprender)

36. O réu expiará suas culpas. (expiará – espiará)

37. Encontrei uma carteira com cédulas de cem dólares. (cédulas – sédulas)

38. Iremos à chácara para lermos deliciosa xácara medieval. (xácara – chácara)

39. Na hora da sesta, os mexicanos dormem. (cesta-sesta)

40. Percebe-se que ele ainda é meio incipiente, pois não tem prática de comércio. (incipiente – insipiente)

 

 

 

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: